sexta-feira, 31 de março de 2017

imersão nas emoções

Um mergulho no mundo secreto da mente, onde o inconsciente revela memórias esquecidas, experiências reprimidas, fantasias, desejos e emoções. Essa é a proposta do espetáculo Fidelidade Oculta, da Troupe Xipô Dança Teatro, que estreia dia 1º de abril em Porto Alegre. Com direção e concepção coreógrafa de Suzana Schoellkopf, a montagem reúne dança, teatro e artes visuais.

crédito Laura Aldana
Alude à importância do inconsciente na criatividade do ser humano e, na a libertação de padrões comportamentais e morais estabelecidos pelo meio social”, afirma Suzana. A montagem tem o homem como matéria prima, sonhos transfigurados em dança e Sigmund Freud e os princípios do Surrealismo como suporte desta pluralidade de sentidos. O grupo opta por trabalhar com o conceito das Artes Integradas gerando assim um espaço aberto e fértil em seu em seu processo de criação. Um dos fatores determinantes para esta diversidade criativa são os artistas que integram o grupo. No elenco, Erasmo  Breitennbach, João Pedro Decarli, Nina Picolli, Patrick Moraes, Samira Abdalah e Suzana Schoellkopf.

Em cartaz na Sala Carmen Silva do Teatro Novo DC (Rua Frederico Mentz, 1.561 – Prédio D, Navegantes) dias 1º e 08 de abril às 21h. Já nos dias 02 e 09 será às 20h. O ingresso inteiro custa R$ 30,00 e é vendido no local uma hora antes do início do espetáculo. Desconto de 50% para classe artística, idoso e estudantes.

Informações:
(51) 3374-7626

quinta-feira, 30 de março de 2017

reaproveitamento industrial

Dois designers com a mesma vontade de vida: produzir algo autêntico e relevante. Foi desta forma que Martina Seibel e Rodrigo Cury criaram a marca de óculos Preza, focada num produto exclusivo, com estilo e, acima de tudo, sustentável. A produção funciona com uma lógica de reinvenção e cuidado com o meio ambiente.

 “Buscamos valorizar o design brasileiro e a fabricação local por meio de uma política de comércio justo e produção consciente, transformando excedentes industriais em produtos autênticos, com alto impacto social e baixo impacto ambiental”, afirma Rodrigo. O que começou com uma pequena oficina improvisada, montada numa cozinha de um apartamento desocupado em Porto Alegre (RS), hoje é uma fábrica onde só trabalham mulheres na linha de produção. Os óculos são feitos a partir da tecnologia de corte a laser e com acabamento manual. O trabalho é minucioso. As designers serram, colam e alinham cada peça. A colagem e o tratamento da madeira são elaborados com materiais de origem vegetal e sem solventes.

A marca gaúcha investe na particularidade de cada consumidor, que busca algo diferenciado e que respeite o planeta. Por isso, as armações são numeradas. Na prática, significa que as peça são únicas. “Acreditamos na história que cada madeira carrega, assim como na personalidade singular de cada pessoa”, conclui Martina.

Informações:
https://preza.me


quarta-feira, 29 de março de 2017

treino no frio

Já estamos no outono. E, logo, o inverno bate a nossa porta. Para quem pratica atividade física, meses complicados, não é mesmo?  Se come mais para se manter aquecido, surgem as gripes e os resfriados, sem falar na preguiça. Trocar a musculação ou a corrida por uma deliciosa taça de chocolate quente ou uma coberta quentinha é barbada.

Manter o treino durante estes períodos do ano traz enormes benefícios para nossa saúde, como o aumento da imunidade. “No outono e no inverno, o corpo irá despender mais calorias para se manter aquecido, aumentando seu próprio calor. Desta maneira, as pessoas que buscam um emagrecimento podem beneficiar-se com as mudanças fisiológicas do corpo geradas pelo frio, pois este pode potencializar os resultados dos exercícios físicos. Mas, é claro, que não podemos esquecer que o tipo de atividade e uma alimentação adequada são fundamentais para tais resultados”, afirma Márcio Schemes, personal trainer e dono da Academia i9 Fisio Fitness, em Porto Alegre. 

Mas você sabe a melhor maneira de praticar atividade física nas baixas temperaturas? Para o educador físico, é proibido se “encarangar”. O ideal é usar roupas leves, como calças e casacos de moletom. As peças devem ser tiradas ao longo da atividade, quando o calor surgir. “Usar muita roupa só prejudicará os movimentos e a sudorese”, lembra Márcio.  O aquecimento e o alongamento são fundamentais antes da prática de qualquer exercício físico, seja na musculação ou aeróbico.

Beba água, sempre. A hidratação antes, durante e depois da atividade é essencial, pois, como no verão, o corpo também perde líquido através da transpiração. “E não pense em usar blusas impermeáveis e nem cubra o corpo com filme plástico com a intenção de gastar mais calorias porque você poderá se desidratar com esta atitude incorreta”, alerta.

E mais uma orientação. “Se for praticar o esporte ao ar livre, escolha um horário de sol mais quente, não necessariamente ao meio dia, mas um horário em que o calor dos raios estimule seus músculos ao exercício físico”, diz Schemes. Lembre-se que a prática de exercícios físicos deve ser regular e constante, para que os resultados sejam satisfatórios. O corpo sarado do próximo verão é o treino do inverno de hoje.

Informações:
marcioschemes@terra.com.br 

terça-feira, 28 de março de 2017

Cine inspirações

Nada mais relaxante que um final de semana na Serra, não é mesmo? Melhor ainda, se um delicioso jantar estiver na programação. E acreditem: pode ficar melhor. E que tal, junto a isso tudo, assistirmos a um bom filme com uma taça de vinho ou espumante? Essa combinação perfeita faz parte do projeto gatro-cultural Cine Gourmet, organizado pelo charmoso Hotel Casa da Montanha, em Gramado (RS).

Mas as surpresas agradáveis não param por aí. O que? Pode melhorar? Sim, acreditem. O jantar, servido no exclusivo Restaurante La Caceria, dentro do próprio hotel, é inspirado num filme. Ou seja, um chef de cozinha prepara um menu inteiro com base no longa exibido para os convidados. A edição de 2017 já tem data para acontecer. Entre os dias 31 de março e 02 de abril, Marcelo Schambeck, atualmente à frente do restaurante Del Barbieri, de Porto Alegre, “cozinhará” O Exótico Hotel Marigold, comédia que mostra um grupo de aposentados que decide “terceirizar” suas aposentadorias viajando para Índia.   

Chef Marcelo Schambeck
Com o tema Inspirações, o Cine Gourmet começa sempre na noite de sexta-feira, com recepção dos hóspedes e convidados e uma degustação de vinhos e espumantes. No sábado acontece o Chá da Tarde, na varanda do hotel. À noite a programação tem início às 19h, com um coquetel preparado pelo gourmet e oferecido antes da exibição do longa-metragem. Às 20h acontece a projeção do filme escolhido na sala de eventos. Na sequência, todos se dirigem ao restaurante para o grand finale: o jantar.

As próximas edições do evento são:

JUNHO
02 a 04 com o filme Intocáveis (2011)

AGOSTO
04 a 06 de agosto com Florence: Quem É essa Mulher? (2016)

OUTUBRO
30 a 01 com La La Land: Cantando Estações (2016)

Informações:
www.casadamontanha.com.br






segunda-feira, 27 de março de 2017

teatro às quatro

Idoso que fica em casa é coisa do passado. Pelo menos é o que aposta o projeto Teatro às Quatro, da atriz e diretora Lourdes Kauffmann. Coordenadora do Grupo Teatral Os De+, formado por atores no auge da maturidade, ela quer resgatar um público que anda por aí com um pouco de receio.

Lourdes, ao centro, entre os atores
É uma experiência nova de se fazer teatro à tarde para as pessoas que andam com medo de sair à noite.Teatro feito por pessoas da maturidade para pessoas da maturidade”, diz Lourdes. Nos dias 28 e 29 de março, estará em cartaz a peça Quem é Você?, da própria diretora, às 16h, no Teatro de Arena, em Porto Alegre. 

A montagem aborda questões muito presentes na vida de quem chegou na terceira idade como, por exemplo, as carências, as ilusões, as desconfianças, a solidão. São quatro personagens que se relacionam em cena. Um casal que se separa, depois de décadas de união, a nova esposa deste recém solteiro maduro, que por sua vez é mais jovem, e uma vizinha, solteirona, que conhece cada detalhe da vida desta família e que procura tirar proveito das fragilidades de cada um. No elenco,Carlos Alberto Bello, Leda Gloeden, Nara Silva e Norma Leffa.

Um texto que passa pelo drama, mas é enriquecido por momentos de comédia e de sensibilidade surpreendentes. Os ingressos, disponíveis na bilheteria do teatro uma hora antes do espetáculo, custam R$ 30,00 para público em geral. O público alvo paga, claro, a metade.  O Arena fica nos Altos do Viaduto Otávio Rocha, na Avenida Borges de Medeiros 835, no Centro Histórico de Porto Alegre.

sexta-feira, 24 de março de 2017

ué! cada um na sua

Era um dia chuvoso. Recém saíra da academia e estava com o horário apertado para almoçar e chegar na hora da consulta no dentista. Mas como todo bom virginiano, pontualidade no horário é algo imprescindível. Então, tinha exatos 60 minutos para entrar no restaurante, comer alguma coisa, pegar o carro e “voar” até o consultório. Dentro do meu planejamento tudo daria certo.

Caminhava apressado pela larga calçada do bairro com um guarda-chuva para me proteger das suaves gotas que caíam naquela hora.  Meus passos eram largos e rápidos e minha mente organizava as tarefas profissionais e pessoais que ainda tinha que executar naquela quarta-feira de inverno. Às vezes, minha cabeça parece uma máquina de lavar-roupas em funcionamento na velocidade máxima. 

A calçada era ampla. Cinco pessoas poderiam caminhar lado a lado com uma boa folga – isso se não viesse ninguém no sentido oposto. O passeio público estava vazio, o que me permitia caminhar mais rápido ainda. Uma mulher, mais vagarosa, também estava “indo”. Ultrapasso-a preocupado com os meus compromissos.

De repente, vejo a mulher que ficara alguns metros atrás de mim ao meu lado. Sim, a “dona” acelerou o passo para me alcançar e, o pior, me ultrapassar. Quando vejo, ela está alguns poucos metros a minha frente, me dá um tchauzinho com as costas das mãos, e entra numa loja, enquanto sigo o meu caminho.

Começo a rir sozinho. Ri de abismado e surpreso com a atitude daquela balzaquiana. Ela reflete a sociedade atual. Uma sociedade competitiva, egocêntrica e “doentia”. A moça, que nunca vi mais gorda, acreditou que eu queria ultrapassá-la pelo simples fato de me achar melhor do que ela. Neura total! Estávamos, de fato, “indo” na mesma direção, mas não para o mesmo lugar. Não estávamos disputando uma mesa num bar, uma ficha no médico, uma vaga na fila do banco. Já seria absurdo se fossem esses casos, mas pelo menos teríamos uma explicação. No entanto, estávamos apenas compartilhando uma calçada. 

Trabalho em mim uma nova maneira de pensar e agir. Importo-me apenas com o que me diz respeito. Importo-me com o meu mundo. O que não irá mudar minha vida eu devolvo para o universo para não acumular assuntos e energias supérfluas.  Então, meus amigos, sem crise! Se alguém ultrapassá-los no trânsito, no corredor do supermercado, na calçada, não peguem para si a bronca, entendam que a pessoa “apressada” pode estar realmente “apressada” e preocupada com ela mesma. Simples assim!

Ah! Para saberem, consegui chegar no horário da minha consulta.


O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Comentários vazios, com palavrões ou contra o blogueiro não serão publicados. 

quinta-feira, 23 de março de 2017

proteína animal ou vegetal?

As proteínas são muito importantes para a saúde. Mas a nossa principal fonte, a carne vermelha, já não é vista, faz bastante tempo, com bons olhos pela medicina e pelos consumidores. Como alternativa, as proteínas vegetais ganham cada vez mais destaque nas refeições. Mas, afinal, será que as proteínas que vêm da terra são mais saudáveis? 

Para a nutricionista Carla Rodrigues, o ideal é o consumo das duas e em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias de cada pessoa. “As proteínas de origem animal, como carne, ovos e leite, por exemplo, nos darão aminoácidos que nosso organismo não fabrica e de alto valor biológico. Além de serem ricas em ferro, zinco, cálcio e vitamina B-12. Mas o excesso delas pode, nos fazer mal,”, afirma.  Já as proteínas vegetais como feijão, lentilha e soja, têm uma quantidade menor de aminoácidos essenciais. No entanto, são ricos em carboidratos, vitaminas e fibras, não possuindo, ainda, gorduras nocivas. “O importante é adquirir os vegetais orgânicos”, destaca.

Mas há outras ótimas fontes de proteínas vegetais. O espinafre possui 49% de proteína. Couve e brócolis têm 45%. Champignon, 38%.

Mesmo sendo possível substituir a proteína animal pela vegetal, a pessoa não pode abrir mão de um profissional de nutrição para uma orientação e acompanhamento. “Quem não come proteína animal precisa de um olhar mais minucioso. É necessário ter cuidado especial com a Vitamina B12, Vitamina D, cálcio, ferro e zinco”, alerta.

Informações:

quarta-feira, 22 de março de 2017

a hora do planeta

As alterações climáticas nos afetam todos os dias. Em algum lugar do mundo, algo grave acontece. Excesso de chuva - ou falta dela -, enxurrada, deslizamentos em montanhas, calor em excesso, nevascas, tornados, furacões, e por aí vai. Mas, afinal, o que você faz para, efetivamente, ajudar o meio ambiente?

No próximo dia 25 de março, das 20h30min às 21h30min, acontecerá a Hora do Planeta.  Indivíduos, empresas, governos e comunidades são convidados a desligarem as suas luzes durante esses sessenta minutos.  É uma forma simbólica de mostrarmos a nossa preocupação pela manutenção da nossa “casa”. 

Em 2016, a iniciativa mobilizou mais de nove mil cidades de 178 países. No Brasil, 165 empresas, além de 39 escolas e organizações não governamentais, participaram da mobilização.   Já em Portugal foram 110 municípios. Centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram às escuras, como a Ponte 25 de Abril, o Mosteiro dos Jerónimos, o Cristo Rei, em Lisboa e o Convento de Cristo, em Tomar. Neste ano, um concerto solidário ocorrerá à luz de velas no Parque Eduardo VII, em Lisboa. 

#HoraDaConfissão
O WWF-Brasil, organização não governamental dedicada à conservação da natureza, criou a campanha #HoraDaConfissão. A ideia é que os cidadãos façam uma auto-reflexão sobre os hábitos equivocados do cotidiano que cultivam e se disponham a mudar algum comportamento que afete o planeta de forma negativa.

Para participar, os internautas devem gravar vídeos curtos com as “confissões” e então enviá-los ao site da campanha. Outra opção é postá-los diretamente nas redes sociais com a hashtag #HoraDaConfissão e então desafiar outra pessoa. As melhores gravações serão replicadas nos canais do WWF-Brasil.

Informações:
www.horadoplaneta.org.br


terça-feira, 21 de março de 2017

meditação para iniciantes

Minha saúde melhorou muito. Eu comecei a pensar melhor, a mente fica clara e aberta. Você continua com os problemas, mas sabe lidar melhor com eles. Eu consigo fazer atividades mais chatas e dou menos peso (a elas). Eu me tornei uma pessoa mais calma nos últimos anos. Esses são alguns relatos de pessoas que praticam a meditação. Há anos a ciência estuda os benefícios dessa prática no nosso organismo. E provou que ela pode ser uma baita aliada na nossa qualidade de vida.

Meditar combate a hipertensão, doenças ligadas ao estresse, depressão, ansiedade, raiva excessiva, insônia, irregularidades nos batimentos cardíacos, além de melhorar o sistema imunológico, entre outros tantos benefícios.  Uma pesquisa do Hospital Geral de Massachusetts, de 2009, afirma que esse bem estar obtido através da meditação se deve a uma redução da massa cinzenta de uma área do cérebro chamada amígdala, que regula o estresse. Quanto mais calmos ficamos, menor a densidade dessa massa cinzenta e, por isso, conseguimos controlar muito mais o estresse.

No workshop “Treinando a Felicidade”, o instrutor internacional do curso Cultivating Emotional Balance (CEB), pelo Santa Barbara Institute for Consciousness Studies, Duda Nascimento, dá um estímulo para quem quer começar a praticar a meditação. “A primeira dica é: seja generoso contigo. Caso, no meio da meditação, um problema surgir no pensamento, pare e volte a se concentrar. Está tudo bem. É assim mesmo”, afirma Duda. Para ele, não devemos condenar as distrações. "O importante é o nosso foco ir e vir, ir e vir”, incentiva.

E meditar não é fácil, viu? Mas também não é difícil. Meditar é prática e vontade. Escolha um lugar calmo, de preferência. Não precisa ficar sentado na posição de Lótus, típica do Yoga, ou estático. A ordem é ficar confortável e relaxado. Pode ser deitado – na cama ou num colchonete mesmo. Não pense em nada. Esvazie a mente.Foque na respiração e no ar que entra e sai do corpo. Pense no seu abdômen. Comece com bem pouquinho tempo, com cinco minutos apenas, se for o caso. 

Abaixo, algumas orientações de Duda para os iniciantes:

Tempo - Comece fazendo menos tempo do que aguenta. Se aguenta 10 minutos, faça, 8. Se aguenta 8 faça 5 e assim por diante. No começo é melhor mais de uma vez ao dia, por tempos pequenos, do que uma vez por semana por um tempo enorme.

Hora do dia - Isso é bastante pessoal. Teste em diferentes horários e veja qual funciona melhor para você. Não existe um "melhor" ou "pior", e sim prós e contras de cada horário. 

Postura Física -Relaxada e Natural. É importante evitar tensões físicas ou posturas em que o corpo não esteja confortável ou com espaço necessário pro abdômen respirar naturalmente. Meditar deitado (posição supina com as palmas das mãos viradas para cima) é recomendada no começo, pois facilita o relaxamento. Meditar deitado é tão válido quanto sentado. Cada postura tem seus prós e contras. 

Postura Mental - Motive-se, mas evite criar grande expectativas em relação ao resultado. A postura mental deve ser relaxada com clareza, e sempre com generosidade na prática. Não julgue as distrações. Meditação não precisa ser mais uma coisa para fazer na sua rotina. Procure entender e trabalhar suas intenções para meditar que a prática acabará achando seu espaço.

Há aplicativos no celular que ajudam os praticantes com, por exemplo, meditações guiadas. Muito bacana. Eu, Adriano, já pratico, todos os dias, há mais de sete dias. E, falo com propriedade, que já sinto os resultados benéficos na minha rotina. Agora, é não parar. Namastê. 

segunda-feira, 20 de março de 2017

árvore da vida

A árvore é, sem dúvida, uma das belezas mais perfeitas da natureza. Representa a Grande Mãe. Em cada cultura e povo, possui um significado diferente, mas o simbolismo mais conhecido e comum é o da vida. Representa a perpétua evolução, sempre em ascensão vertical, subindo ao céu.

Liana Borges, mãe, militante, educadora popular, professora de escola pública aposentada, pesquisadora, doutora em Educação e artesã, se apaixonou pela simbologia da árvore e o que ela pode nos trazer de bom. “Do nada, cruzei com arvorezinhas de MDF em uma loja de artesanato. Decidi comprar algumas e pintar. Amigos e amigas elogiaram e passaram a me pedir.“Opa! Pensei: o que está acontecendo?”, relembra. Hoje, ela possui a marca Liana Feito à Mão e  participa de feiras e bazares vendendo, ao preço médio de R$ 35,00, peças de variadas cores e tamanhos. O trabalho é tão cuidadoso que cada unidade demora cerca de três dias para ficar pronta. 


E Liana é testemunha desse real significado de “vida”’ da árvore. “Não planejei ser ou tornar-me uma artesã, porém, sem ainda entender o que se passou após a aposentadoria – alguns dizem que nos recriamos e nos reinventamos nesta nova etapa de vida, algo aconteceu”, diz Liana. Para ela, o artesanato dá prazer, alegria e tranquilidade. “Pinto (e vendo) para compartilhar sentimentos reconfortantes e esperançosos, pois acredito que não podemos perder a capacidade de amar e de respeitar o outro na sua singularidade”, conclui.

Informações:
arvoredavida057@gmail.com

sexta-feira, 17 de março de 2017

o desviar das antas

por adriano cescani
Eu li uma frase que me fez rir muito: “fácil é matar um leão por dia, difícil é desviar das antas”! Entenda por “antas” as pessoas que, de uma maneira ampla, tiram a nossa tão sensível e quase escassa paciência. Às vezes tenho a impressão – e rezo para que essa sensação não seja verídica – que o mundo tem mais gente anti-social ou exageradamente sociável do que equilibrada.

É o síndico do prédio um senhor ranzinza. É o caixa da padaria que sempre quer te dar balas ao invés de moedas como troco e faz cara feia quando reclamamos. É a faxineira da academia que fica limpando o aparelho que estamos usando. É o colega azedo de trabalho. É o gerente do banco mal-humorado. É a fofoqueira do pilates. É o esnobe do chefe. É o motorista que nos corta no trânsito. É o primo invejoso. É o amigo que posta nas redes sociais o que está fazendo a cada minuto como se fosse o mais feliz do mundo… Bem, eu poderia passar horas, literalmente, listando comportamentos que nos deixam, no mínimo, incomodados e com cara de “Ai Meu Deus”. 

E é tanta energia ruim que absorvemos durante um único dia que nossa alma é invadida pela bactéria da tolerância zero. Inconscientemente não agüentamos tanta pressão e, do nada, passamos a criticar todos e tudo. Ou seja, entramos na onda que não queremos surfar. Baixamos o pau, sem critérios, como forma de desestressar – ou de falar mal mesmo. Só que não nos damos conta de quanto isso não é legal nem benéfico para saúde. Com o passar do tempo percebi que essa terapia do “soltar o verbo” era equivocada e que o resultado era contrário ao que esperava. Eu não ficava mais leve com tal atitude pequena. Não gostava mais que quem eu era.

Decidi, então, controlar minha mente para não criticar por criticar ninguém nem nada. Se a pessoa age de tal maneira, problema é dela! Tenho que confessar que é um exercício diário de muita boa vontade e dedicação. Não é fácil passar por um cidadão desagradável e abstrair, como se morássemos na terra dos Smurfs – onde todos se amam de paixão, se respeitam e são amigos.

O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Comentários vazios, com palavrões ou contra o blogueiro não serão publicados.

quinta-feira, 16 de março de 2017

faculdade sustentável

Nos grandes centros urbanos, os projetos sustentáveis estão ganhando cada vez mais destaque. As paisagens de concreto dão lugar a obras verdes. Bem verdes, aliás.

O novo campus da Unisinos, em Porto Alegre, é um complexo arquitetônico que possui conceitos da sustentabilidade, projetado para otimizar o uso de energia por meio da fachada e telhado verdes, ambos desenvolvidos pela empresa gaúcha Ecotelhado. O conjunto de três prédios, situado na Avenida Nilo Peçanha, junto a uma área de preservação, tem cobertura de plantas que serve para captação de água da chuva. 

Os telhados possuem dois sistemas: Laminar Médio e Alveolar. Neles são utilizados o boldo como vegetação, uma planta resistente e ideal para o clima gaúcho. Além disso, o boldo é uma planta que atrai polinizadores como as abelhas sem ferrão, por exemplo, e que estão com déficit de locais para polinizar. No total, serão 2.776 m² instalados em toda obra.

Já o jardim vertical possui o sistema Mamute que possui reserva de água, permite a diminuição da frequência de rega da parede verde e economiza o cada vez mais escasso líquido. Aqui são utilizados cinco tipos de plantas: Asparguinho, Bulbine, Falsa Erica, Clorofito e Tradescantia. “A Bulbine atrai abelhas sem ferrão e, como o espaço fica em meio a urbanização, esta é uma ótima oportunidade para aumentar a biodiversidade do local”, explica Isadora Feijó, da Ecotelhado. No total serão instalados 876,7   de jardim vertical nas fachadas.


quarta-feira, 15 de março de 2017

receitas com grãos

Os grãos são super importantes para a nossa saúde. Ricos em carboidratos complexos, que são o principal combustível do corpo, possuem outros tantos benéficos. Por isso tornam-se indispensáveis nas refeições diárias.

A boutique de produtos naturais Tudo em Grãos lançou o livro Nós Amamos Grãos: Propriedades, Usos e Receitas. A publicação, com 240 páginas, reúne informações, curiosidades e 64 receitas preparadas com ingredientes como grãos, farinhas, sementes, frutas secas e especiarias. São pratos quentes, sobremesas, bolos e saladas que se distanciam das receitas tradicionais pelo contraste de sabores e por sua fácil preparação. Autora do livro é a especialista em gastronomia Maria Beatriz Dal Pont. Participam, ainda, como convidados a foodblogger Patricia Zuco e o padeiro Rodrigo Gomes. 

A obra é também uma oportunidade de retribuir o carinho de nossos clientes com a marca, motivo pelo qual cresceu e atualmente se projeta para todo o Brasil”, afirma Alex Xavier Bortolini, diretor da marca, com oito pontos diferentes no Rio Grande do Sul. A venda ocorrerá nas lojas da rede ao custo será de R$ 35,00. 

Informações:
tudoemgraos.com.br

terça-feira, 14 de março de 2017

histórias em duas rodas

O ano era 2004. No Rio de Janeiro, durante uma acrobacia aérea em tecidos, o ator gaúcho Luciano Mallmann escreveria um novo capítulo da sua história. Ao cair, sofreu uma lesão na medula e ficou paraplégico. Agora, numa cadeira de rodas, seguiria, como sempre quis, batalhando por uma vida livre, sem barreiras e limitações.

 “Sonho com um mundo em que nos enxerguem além de nossas rodas ou limitações. Que seja natural para você encontrar pessoas com deficiência em diferentes espaços exercendo plenamente seus direitos como cidadãos”, afirma Luciano. E para que isso se torne cada mais possível, Mallmann reuniu sentimentos e experiências de pessoas cadeirantes, incluindo as dele, para criar uma peça de teatro. Em Ícaro, o próprio ator interpreta seis personagens, homens e mulheres, que contam para a plateia seus medos, frustrações, alegrias e conquistas. Em cena, temas como relacionamentos entre pais e filhos, resiliência, relações amorosas, suicídio, preconceito, gravidez e maternidade. É, acima de tudo, um espetáculo sobre a diversidade humana.    
  
O que mais importa é este ator contando essas histórias. É a própria força que está no corpo do Luciano. É um trabalho de ator. Ele é o elemento principal”, conta a diretora Liane Venturella. Não há cenário nem marcações bruscas. A iluminação e a trilha sonora sublimam o clima de cada uma das histórias. “Desejo, do fundo meu coração, que Ícaro contribua de alguma forma para transformar essa realidade”, conclui Luciano.

Não é a primeira vez que Luciano Mallmann sobe aos palcos depois que se tornou deficiente físico. Em 2011, ele produziu e interpretou o protagonista de A Mulher Sem Pecado, de Nelson Rodrigues. O espetáculo foi indicado a todas categorias do Prêmio Açorianos, o Oscar do teatro gaúcho, vencendo as estatuetas de produção, atriz e cenografia e espetáculo pelo júri popular. 

Serviço:
Teatro do Instituto Goethe (Rua 24 de outubro, 112 – Independência, Porto Alegre)
Sextas, sábados e domingos às 20h
Ingressos: R$ 40,00 (50% de desconto para estudantes, idosos e pessoas com deficiência)

segunda-feira, 13 de março de 2017

tesoura viajante

Você já pensou cortar o cabelo em meio a dunas do Nordeste brasileiro? Ou em plena rua, ao ar livre, de Buenos Aires, na Argentina? Ou quem sabe no alto das ruínas de Machu Pichu, no Peru? Se nunca pensou, não tem problema. Mas saiba que isso existe e já aconteceu. E continua nos mais variados lugares do mundo.

O projeto Tesoura Viajante, do head hair stylists Leo Wichrowski, do Visualité Pedro Ivo, de Porto Alegre,  realiza cortes de cabelo em pontos turísticos ao redor do mundo. “Meu pai me disse que, com uma tesoura e um pente eu poderia viajar bastante. Então eu fui pra Austrália sonhando em ser cabeleireiro lá. E eu fui. Consegui exercer a profissão. E aí vi que, realmente, a minha profissão me possibilitava isso”, afirma Leo. Os cortes, gratuitos, são feitos em pessoas comuns que estão passando pela rua e que aceitam o desafio de mudar o visual. Não há distinção de raça , sexo ou credo. 

E a iniciativa deu tão certo que o cabeleireiro criou um canal próprio no YouTube para relatar a experiência. Há vídeos vistos por cerca de meio milhão de pessoas. Além de viajar e levantar a auto-estima das “clientes”, Leo quer tornar a iniciativa num projeto social de fato. “Quero fazer oficinas com crianças e adolescentes mais humildes em regiões carentes do Brasil. Ensiná-las a cortar cabelo e a terem uma profissão”, conclui Leo.


Os vídeos podem ser vistos no https://www.youtube.com/user/MrLeowsks.

sexta-feira, 10 de março de 2017

o tal do amor líquido

por adriano cescani
As salas de espera são ótimas para colocarmos a leitura em dia. Afinal, hora marcada é apenas uma formalidade. Ninguém nos atende no horário agendado. Mas, graças a um desses atrasos, pude descobrir um pensador com uma visão bem interessante sobre as relações humanas nos dias de hoje.
O sociólogo polonês Zygmunt Bauman, de 84 anos, afirma que vivemos na chamada “sociedade líquida”, onde nada é para durar. Tudo é muito volátil, inclusive os relacionamentos amorosos. Na minha cachola já imaginei a hashtag TENSO!  Pesquisei mais sobre esse ponto de vista tão contemporâneo e meus butiás caíram do bolso de tão verdade verdadeira. 
Atualmente, não é mais preciso sair de casa para conhecer alguém. As diversas redes sociais e aplicativos de telefones são perfeitos para o xaveco entre homens e mulheres, mulheres e mulheres, homens e homens. Por trás da telinha do computador, do tablete ou do smartphone, as palavras, os gestos e as promessas de um novo amor são tão intensas quanto à velocidade das informações que chegam para nós, a cada segundo, diariamente, através da internet. Tudo é lindo e perfeito. Tudo é imediato!
Os solteiros sabem do que estou falando. Paixões vêm e vão todas as semanas. É a montanha russa dos sentimentos: estamos bem – em linha reta-, daí nos encantamos por alguém que “curte” ou nos dá “follow”, subimos ao topo da euforia, depois entristecemos com o “unfollow”, descemos velozmente para a “deprê”. É um sobe e desce de expectativas. Esse é o tal do “amor líquido”, segundo nosso amigo Bauman. Traduzindo: é um amor “até segundo aviso”. Aqui, vale amar enquanto esse amor trouxer satisfação. Depois disso, ele é substituído por outro que promete ainda mais benefícios. Puxado, hein?
Vocês, queridos leitores descompromissados, já devem ter sido vítimas de uma relação dessas, não é mesmo? Ou, quem sabe, já foram vilões de uma história romântica que começou pela internet. Eu mesmo já fui alvo algumas vezes. Talvez vilão. Bem mais vítima do que vilão. Tudo bem, não vem ao caso.
Mas, de fato, há quem sofra mais com esse golpe sentimental. O vovô pensador Zygmunt é sábio nesse assunto. Não sei se ele tem conta no twitter ou Facebook, mas entendeu que os contatos online possuem uma vantagem sobre os reais: são mais fáceis e menos arriscados.
Se as coisas não saíram como o esperado ou ficaram muito “quentes” ou “mornas”, os sedutores simplesmente se desconectam da relação, sem a necessidade do adeus, sem assumir que não rolou, sem explicações, sem uma palavra, sem nada! Simplesmente somem. O respeito para o próximo não existe. Como também não existe mais o tentar. Afinal, há tantas outras oportunidades por aí!
O que essa geração que vive o tal do amor líquido não se liga é que tudo na vida tem dois lados, o bom e o ruim. Fugir da responsabilidade, do diálogo e de uma relação adulta e civilizada é menos sofrido e mais prático, pelo menos no “agora”.  Mas, certamente, essas pessoas têm muito mais a perder do que a ganhar. Perdem a chance de conviver, mesmo como amigo, com o outro. Deixam de aprender e a ensinar coisas. Mas, acredito, acima de tudo, que elas deixam de evoluir como seres humanos. Essa fatura, certamente, virá a longo prazo!
Então, meus amigos, muito cuidado com os lero-lero virtuais. Bora pra vida e se relacionar com quem está afim da realidade. Vamos pra balada, pros parques, pros bares, pro mundo de verdade. Que tal se propor conhecer o próximo na saúde e na doença, na alegria e na tristeza?

O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Comentários vazios, com palavrões ou contra o blogueiro não serão publicados.

quinta-feira, 9 de março de 2017

mãe de cão

Não é de hoje que os cães ocupam um lugar especial no coração e na família de muita gente. Há quem tenha um cachorro. Ou dois. E quem sabe três. É o caso da jornalista Regina Lima. Ela é mãe de três peludinhos da raça Shihtzu . Isso mesmo: mãe. Aliás, mãezona do Gyzmo, de 13 anos, da Fiona, de 12,  e do Pingo, de seis anos.

E a apresentadora de televisão não poupa amor nem atenção aos pequenos. Quando ela tira férias, eles vão junto. Quando ela tem que passar um dia inteiro fora, pede para alguém ficar com os dogs. Não dorme quando um fica doente. “Eu sempre tive ligação com bichinhos, mas depois que a gente vira mãe de cão, tudo muda. Como eles não falam, precisamos saber identificar o que eles estão sentindo, quando dar comida, como educar, qual remédio dar quando estão dodói. É um zelo incrível”, afirma Regina.

E desse universo canino ela entende muito bem e, por isso, decidiu compartilhar com outros pais e mães a experiência de mais de 10 anos. Regina criou o Mãe de Cão, um canal no YouTube. Uma vez por semana, ela posta um vídeo com dicas sobre saúde e comportamento animal. "Eu acabei passando esse amor pelos bichos pros meus amigos. Daí, quando eles compravam ou adotavam cães, eu virava referência para esclarecer as dúvidas. E eu adoro fazer isso", diz. Entre os assuntos já apresentados, a importância da tosa e quais os medicamentos importantes para se ter em casa.

Bom. Ótima dica pra quem tem um filhinho, sobrinho ou netinho pet, não é mesmo? Com certeza, poderá agregar muito no bem estar do bichano. O conteúdo pode ser encontrado, também, no Instagram (maedecao__) e Facebook (maedcao).



quarta-feira, 8 de março de 2017

treinando a felicidade...

Todos nós buscamos a mesma “coisa” na vida: a felicidade. E ela é diferente pra cada pessoa. Tem gente que é feliz quando possui um bom emprego. Há quem encontre a plenitude numa família sólida. Apenas acordar já é um motivo de celebração da alma pra outros. Agora, é senso comum que esse estado de espírito não é permanente.

Duda Nascimento
Viver na gangorra emocional é do jogo, sem dúvida. Mas será que é possível treinar a felicidade? Para Duda Nascimento, instrutor internacional do curso Cultivating Emotional Balance (CEB), pelo Santa Barbara Institute for Consciousness Studies,  podemos aumentar nossas habilidades emocionais. Na prática, temos a capacidade de reduzir o estresse, afastar pensamentos e atitudes que nos coloquem pra baixo, enfim, alcançar bem-estar. Ou quem sabe, dar uma guinada de rumo. 

E foi isso que Duda fez, em 2007, quando abandonou o promissor mercado financeiro por uma vida mais significativa para ele. Tornou-se músico, começou a meditar, participar de retiros e buscar conhecimento sobre ser pleno. Hoje, além de instrutor, é também professor de meditação, compositor, violonista e vocalista da banda Destemido Walace.

E esse novo mundo possível é o tema do workshop A Felicidade é uma Habilidade?, na Área 51 (Av. Cel. Lucas de Oliveira, 894 – Petrópolis), em Porto Alegre, no dia 9 de março. O encontro, que é das 18h30min às 22h, inclui técnicas seculares de treinamento mental e emocional, que associadas a modernas ferramentas da psicologia ocidental, desenvolve nos participantes habilidades fundamentais para uma vida mais plena.  

Informações:
debora@deboratessler.com.br




terça-feira, 7 de março de 2017

organizando a vida...

A bagunça e a desorganização em casa ou no ambiente de trabalho bagunçam e desorganizam a nossa vida, literalmente! Perder uma camisa dentro do guarda-roupa, uma chave na bolsa ou um documento a ser assinado numa gaveta lotada de coisas nos irritam e, principalmente, nos atrasam. Por isso, a organização é super importante para melhorar o desempenho pessoal e profissional. E claro, fazer a vida fluir. Que é o que mais buscamos. 

Uma pesquisa da Associação Nacional de Organizadores Profissionais (NAPO), revelou que 71% dos entrevistados teriam uma vida melhor se fossem mais organizados. Para 27% a falta de organização os impede de serem mais eficazes no trabalho. Agora, 65% disseram que o lar é, mais ou menos, desorganizado. “Uma residência em ordem pode gerar uma economia de até 40% no orçamento familiar”, afirma a jornalista e personal organizer Simone Lopes.

Por isso, no próximo dia 11 de março, das 13h30min às 17h, no Recrie Seu Lar (Estrada da Serraria, 1617 / Loja 7, Bairro Serraria), em Porto Alegre, Simone ministrará um workshop sobre o assunto. Recrie sua vida, seu ambiente: seja Personal Organizer vai ensinar, a quem esteja interessado, a deixar tudo no lugar, seja em closets, despensas e armários, residenciais ou em escritórios. Os participantes ainda aprenderão a dobrar camisetas, meias, roupas íntimas, toalhas e o tão temido lençol com elástico, que é um horror, não é mesmo? “Através das técnicas, teremos mais leveza, disciplina e harmonia em nossos lares”, conclui Simone.
Informações: 

segunda-feira, 6 de março de 2017

vinho sustentável

O vinho é excelente para ser apreciado entre amigos e pessoas especiais, não é mesmo? E o consumo equilibrado da bebida de Baco traz, ainda, benefícios para a saúde como diminuição da pressão arterial, por relaxar os vasos sanguíneos, redução do risco de problemas cardíacos, aumento do colesterol bom, combate do colesterol ruim, entre outros. Mas por se tratar da uva, uma fruta delicada e sensível ao clima, o cultivo, em sua maioria, ainda depende de produtos agroquímicos para que se tenha uma boa safra, longe de pragas e possíveis danos à produção.   

Eu disse em sua maioria, prestem atenção. Na pequena localidade de Pinto Bandeira, na Serra Gaúcha, a Vinícola Don Giovanni está trabalhando há três anos, e de forma gradual, com o manejo biodinâmico. Na prática significa que parte dos parreirais não leva qualquer tipo de químicos ou pesticidas. "A Don Giovanni trabalha com cultivo de uvas desde os anos 50. A empresa vinha aplicando nos seus vinhedos, sistemas convencionais de controle de pragas e doenças nas plantas. Em 2012, apostamos em novos desafios, voltando cada vez mais nosso olhar à sustentabilidade", explica o diretor da vinícola, Daniel Panizzi.

As mudanças começaram com as ações contínuas do conhecido TPC (Termal PestControl), equipamento que lança jatos de ar quente nos vinhedos, provocando estresse e aumentando a resistência e defesas da planta. Os bons resultados vieram, mas era preciso fazer mais para alcançar o objetivo: ser, de fato, sustentável. Então, restauraram a energia e o equilíbrio do ecossistema. No entorno dos vinhedos, são cultivadas flores, como rosas e margaridas, e plantas que servem como defensivos naturais.  

O solo, por sua vez, é tratado com plantas medicinais. Entre elas, a urtiga, para combater pulgão. Já a cavalinha evita fungos e o mil-folhas potencializa o potássio e o enxofre. O trevo-branco serve para auxiliar as plantas a fixarem nitrogênio naturalmente e azevém e aveia-preta, que funcionam como adubo ao solo. "Podemos perceber uma maior vitalidade na vinha, mais vida no ecossistema e uvas com mais sabor e profundidade. Sabemos que o caminho é longo e árduo, mas seguimos com muita observação, paciência e sensibilidade, para atingir o equilíbrio máximo entre a terra, a planta, de forma sustentável e qualitativa", explica Maciel Ampese, enólogo da Don Giovanni.


A empresa estima que num prazo médio de cinco anos, seja possível concluir, a transição dos 14 hectares de vinhedos. Hoje, a Don Giovanni tem uma produção de 120 mil garrafas ano.

Informações:
www.dongiovanni.com.br

sexta-feira, 3 de março de 2017

tudo é questão de tempo

por adriano cescani
Ah! Se pudéssemos voltar no tempo. Esse, certamente, é o impossível desejo mais secreto e íntimo de todos nós.  Quantos erros poderíamos consertar, quantas decisões poderíamos repensar, quantas frustrações poderíamos arrancar de nossos corações se tivéssemos o dom do “refazer” o presente, que vira passado em um segundo.
No filme Questão de Tempo (2013), de Richard Curtis, os homens da família Lake possuem a magia de atrasar os ponteiros do relógio. Na trama, Tim, um jovem desajeitado de 21 anos, ao descobrir a máquina do tempo que está dentro dele, decide fazer de tudo para arranjar uma namorada. Cenas engraçadas nos dão um gostinho de “eu também queria receber essa capacidade”! Capacidade de reeditar o momento do primeiro encontro com a pessoa amada, o primeiro beijo, a primeira transa e o pedido de casamento.
Mas, surpreendentemente, o roteiro vai amadurecendo, como a gente mesmo, ao longo da vida! A comédia se transforma num drama. O riso nos nossos lábios dá lugar para reflexões e lágrimas nos olhos ao sabermos que nem tudo é passível de nova chance, nem mesmo na ficção. E aí, meu caro leitor, ganhamos um soco no estômago.
O roteiro de Questão de Tempo nos acorda para o agora. Nos damos conta que não é fundamental voltar um momento para construir um novo final. Isso tornaria a vida perfeitamente chata, já que não aprenderíamos com os erros e frustrações.  E nem entenderíamos o sentido da vida.
Entre risadas, nós na garganta, lágrimas e uma saudade que brota na gente – do que vivemos e do ainda iremos perder -, percebemos que tudo é uma questão de tempo. O nascer, a infância, a adolescência, o amor, a fase adulta, a velhice, a doença, a morte! O tempo de agora é aprender com o tempo passado. É levar a vida mais leve, é dizer mais vezes “eu te amo” para quem se ama, é beijar e abraçar mais quem se gosta, é sorrir mais – mesmo na dificuldade -, é ser feliz. É simplesmente viver! Porque tudo é uma questão de tempo.
O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Comentários vazios, com palavrões ou contra o blogueiro não serão publicados. 

quinta-feira, 2 de março de 2017

aeróbio antes ou depois da musculação?

Quem freqüenta academia tem uma dúvida cruel: fazer o treino aeróbico antes ou depois da musculação? Até para os profissionais da aérea, as respostas são controversas. Mas para o educador físico e personal trainer, Márcio Schemes, tudo vai depender do objetivo que se quer com a atividade física. 

As atividades aeróbias são excelentes para a saúde, sobretudo para o sistema cardiovascular, cardiorespiratório e para o emagrecimento. Da mesma maneira, a musculação, que além de aumentar a massa muscular, a força e a resistência, também é uma ótima aliada para a pessoa que quer diminuir a sua massa adiposa ou de gordura corporal”, defende. Fica a dica: devemos combinar as duas atividades para otimizar os resultados.

Estudos recentes vêm demonstrando melhores resultados com a prática do exercício aeróbio depois da musculação. Isto porque o primeiro substrato energético utilizado durante a prática da atividade física é o glicogênio, a principal reserva energética das nossas células musculares. Como o treino de musculação esgota os estoques de glicogênio dos músculos, ao fazer os aeróbios logo após o treino de “ferro”, o organismo será obrigado a utilizar como substrato energético os estoques de gordura corporal. “Caso contrário, com a prática dos aeróbios antes do trabalho localizado, serão necessários em torno de 20 a 25 minutos para as quantidades de glicogênio diminuírem e o organismo utilizar os adipócitos (células de gordura)”, afirma.

para emagrecer
Se o objetivo for emagrecer, tanto faz realizar o trabalho aeróbio antes ou depois da musculação. O que interessa é o gasto energético total com as duas atividades, a fim de se obter um balanço calórico negativo.

para hipertrofia
Para quem quer ganhar massa muscular, a chamada hipertrofia, é importante que o treino comece pela musculação. Logo depois, vá para o aeróbico.

para hipertrofia máxima
Para quem quer ficar fortão ou fortona, o ideal é que nenhum trabalho aeróbio seja realizado no turno do treino.  Como o trabalho aeróbico é muito importante para a saúde, deve ser incluído, então, em outro turno. O ideal é de duas a três vezes por semana, com uma moderada intensidade, em torno de 55-70% da frequência cardíaca máxima, para não haver catabolismo.

para condicionamento físico
Se o seu objetivo for melhorar a capacidade de resistência aeróbia de longa duração, ou aumentar a capacidade cardiorespiratória, o ideal é começar pelos exercícios aeróbios, pela mesma lógica do item anterior, ou seja, para que o treino de musculação não “atrapalhe” o seu treinamento aeróbio.

Informações:
marcioschemes@terra.com.br 



quarta-feira, 1 de março de 2017

moda sem pressa

O slow food, que promove uma maior apreciação da comida, já está em alta por aqui faz um bom tempo. Começa a surgir, agora, um outro movimento semelhante: o slow fashion. O conceito na moda é o mesmo aplicado na gastronomia: consumir sem pressa, com consciência e longe dos exageros. 

Falamos aqui de produção artesanal e em pequena escala. Costuma causar menos impacto ambiental e social por ter como característica fundamental a produção de peças com mais qualidade e durabilidade sem agredir o meio ambiente”, afirma a empresária Elis Soares. Criadora da marca Phiona Acessórios, de bolsas artesanais sem uso de matéria prima de origem animal, ela decidiu dar um passo à frente. Montou a Phiona Store Slow Fashion Place, um e-commerce que abriga um conjunto de marcas gaúchas que seguem a mesma filosofia de produção. "A ideia foi trazer para o universo online os produtos que muitas vezes só podem ser encontrados em feirinhas e bazares", conclui.

Os critérios das marcas participantes passam pelo processo de confecção, que na maioria das vezes é feito em ateliers e com mão-de-obra humanizada, até a concepção do produto, pensado para ter peças atemporais, duradouras e com design. Além das bolsas, maxi colares de cordas, camisetas descoladas, óculos com hastes de bambu e lingeries são comercializadas. Por enquanto, só empresas gaúchas, de moda feminina e masculina, participam do projeto. 

Informações: